Julia Jones Defende Leah Clearwater

19/06/2010 16:27

Julia Jones, nossa Leah Clearwater deu uma entrevista super legal ao site FearNet, e aproveitou para defender sua personagem. Julia justifica todas as atitudes de Leah, e que não consegue imaginar alguém com mais direito de ser do jeito que ela é. Além disso, ela conta algumas coisas sobre o set de Eclipse, sobre seu relacionamento com o restante do elenco, e sobre seu outro trabalho, o filme Jonah Hex.

Image and video hosting by TinyPicEntre os novos personagens apresentados em The Twilight Saga: Eclipse, está Leah Clearwater, a única mudar do Wolfpack. Compreensivelmente, Leah tem mais do que uma pequena amargura quanto ao seu novo status de lycan; você também odiaria a vida, se seu namorado lobisomem te dispensasse porque ele sofreu imprinting na sua BFF e você fosse obrigada a se juntar ao grupo dele (e ouvir os pensamentos dele) por toda a eternidade.

Essa hostilidade leva à uma cena engraçada em Eclipse entre Leah e Bella Swan (Kristen Stewart), a heroína humana da Saga Twilight, quem até agora nunca tinha recebido a tarefa de acompanhar o pobre lobisomem Jacob Black (Taylor Lautner), Leah, é interpretada pela atriz de 29 anos Julia Jones (Hell Ride, Jonah Hex), deliciosamente ressentida, como nós a imaginamos, atormentada por sua experiência de seu próprio triângulo amoroso com Sam e Emily e desesperada para se provar como um novo membro do grupo.

Pessoalmente, Julia Jones não poderia estar mais distante de Leah Clearwater, ainda que ela entenda as razões da hostilidade de Leah com o mundo. Eu me encontrei com ela no último final de semana para discutir seu personagem em Eclipse, sua conexão com seus colegas de elenco, e seu papel no velho-oeste sobrenatural baseado em quadrinhos, Jonah Hex (infelizmente, eu acabei de descobrir que as suas cenas nesse filme foram cortadas). Ela tinha muita admiração por seu colega de elenco de Twilight, Taylor Lautner, com quem ela vai interpretar mais, nos próximos filmes de Breaking Dawn — e quase a mesma paixão pelas horas de filmagens de um lobo real que ela assistiu para preparar-se para seu papel em Eclipse. Ainda que ela tenha concordado que ser um lobisomem teria seus inconvenientes — leia-se, encontrar-se nua nas árvores depois de voltar para a forma humana — ela está ansiosa para ajudar Leah a alcançar seu potencial de fodona completo, nas futuras sequências de Twilight.

Descreva a audição que te colocou no papel de Leah Clearwater.

Eu tive um relacionamento com a diretora de casting, Rene Haynes, por alguns anos; ela me colocou em pelo menos uma outra coisa. Eu entrei e li para ela e para David Slade, passei 20 minutos trabalhando na personagem e a desvendando, e eu voltei cerca de uma semana depois e li para Renee e David e alguns produtores novamente. E então eu esperei um mês inteiro e ouvi que eu tinha conseguido, e então eu esperei outro mês até que pudesse contar à qualquer um! Então foi bem normal no começo, e depois bastante bizarro.

Que cenas você leu durante o processo de casting?

Foi uma cena tirada do livro, Breaking Dawn. A cena onde eu venho e digo ao Jacob que eu quero me juntar ao bando dele.

Há uma coisa que estamos ansiosos para ver em Breaking Dawn — ver você e Jacob se libertarem do Wolfpack para formarem seu próprio bando separado. Você conheceu bem o Taylor enquanto filmavam Eclipse?

Sim — nós obviamente trabalhamos juntos e saímos algumas vezes fora das filmagens, e eu o vi por aí em L.A. Eu adoro o Taylor. Uma coisa que as pessoas não prezam muito nele é o quanto ele é esperto; Eu acho que há muita atenção nos seu abdomen e o quanto ele é deslumbrante, e tudo mais, mas eu tenho um respeito tremendo por ele. Ele é um garoto muito esperto, e incrivelmente talentoso, dedicado…

 

Os lobisomens em Twilight devem ser muito próximos, sobrenaturalmente conectados, eles podem ler os pensamentos uns dos outros. O que todos os membros do Wolfpack fizeram no set para construir essa conexão durante a produção?

Nós passamos muito tempo junto. Os garotos todos malham; todos eles vão à academia pelo menos uma vez por dia. E eu provavelmente tive todas as minhas refeições com pelo menos um deles enquanto estive lá. Nós fomos jogar boliche, fomos ao cinema… Só essas coisas normais e divertidas. Nós caminhamos. Nós andamos muito, porque era muito lindo em Vancouver.

Image and video hosting by TinyPic

Você e Boo Boo Stewart são novos no elenco, interpretando novas adições ao Wolfpack, e são irmão e irmã.

Boo boo eu acho que está em somente uma cena. Eu espero trabalhar com ele mais em Breaking Dawn; ele é muito divertido. Eu tenho um irmão mais novo, também, então essa é uma dinâmica com a qual eu estou familiarizada, e eu amo meu irmão mais novo, então seria divertido ter um nas telas por mais dois filmes.

Quando nós conhecemos Leah em Eclipse, toda sua linguagem corporal transmite hostilidade, como a sua atitude com a Bella… o que você fez para representar a fisicalidade da Leah, de uma mulher que acabou de se transformar, contra sua vontade, em um lobo?

Essa é uma pergunta muito boa e ninguém me pergunta sobre isso. Isso foi uma grande parte da Leah. Foi, eu diria, um dos maiores jeitos no qual eu a encontrei. A coisa mais óbvia é, que é dita no livro, que ela está sempre franzindo as sobrancelhas; ela fica nervosa muito, então fisicamente, franzir era parte disso. Honestamente, eu assistia lobos — vídeos incríveis de lobos no Youtube — e tem esse programa sobre esse homem que foi viver com lobos. Ele se infiltrou nesse bando e se tornou o alpha dele. É longo e eu assisti a coisa toda várias vezes… há coisas sobre como os lobos se movem, e como eles se conduzem, e suas reações às coisas, que eu comecei a incorporar isso muito sutilmente na maneira como Leah se conduz.

A outra coisa à respeito da sua fisicalidade era que eu pensava que a Leah tinha muito de auto-aversão. Os problemas de auto-estima são justificados por todas as coisas pelas quais ela passou — esses também se lêem no corpo dela. Fisicamente, é como se você quase quisesse se esconder. Você não fica confortável com seu corpo; você não pertence à ele, você não cabe nele.

Vamos falar sobre algumas das razões pelas quais Leah é tão amarga — dada a sua situação com Sam e Emily, eu diria que a hostilidade dela é totalmente compreensível.

É tão justificável! Eu não posso pensar em outra pessoa, seja sobre-humano ou humano, que tenha mais razões para ser amarga e irritada como Leah Clearwater. Primeiro de tudo, o amor da sua vida sofreu imprinting com a melhor amiga dela, e ela tem que viver com isso — ela tem que ouvir os pensamos dele sobre amor pela sua melhor amiga, e os pensamentos dele de pena dela. Eu não sei o que é pior, isso ou o fato de que ela foi transformada em lobo. Eu acho que isso poderia de verdade ser pior do que seu coração partido! Mas a história é que quando os Cullens vieram, nós começamos a nos transformar de novo, e porque há tantos Cullens, nós passamos por todos os machos jovens que tinham a linhagem certa. Eu tinha a linhagem certa mesmo sendo uma garota, então eu também comecei a mudar. Você pode imaginar? Algo assustador e físico acontecendo com você? Eu não diria que eu quebro uma unha e começo a surtar, mas eu — e surto. Eu não poderia imaginar me transformar em um lobo!

Image and video hosting by TinyPic

Especialmente se toda vez que você se transforma, você rasgasse todas as suas roupas!

É — você rasga todas as suas roupas e quando você volta você está nua? Oh meu Deus.

Por outro lado, é demais ver uma lobisomem fêmea de volta na cultura pop.

É super foda. Eu acho que talvez nos filmes futuros, eu vou ser um pouco mais foda, mas há definitivamente um lado de Leah que é super competitivo, e gosta muito de só se focar em ser a mais rápida ou de estar sempre um passo à frente dos garotos aqui e alí — essa é uma forma de ela assumir seu poder e pertencer à aquilo. Ela só quer pertencer à aquilo.

Nós também te vemos na adaptação do sobrenatural velho-oeste de quadrinhos Jonah Hex, no qual você interpreta a esposa do Jonah, cuja morte pelas mãos de John Malkovich o lança em uma jornada de vingança. Quanto nós vemos de você, e em qual contexto? [Nota: Depois de ter visto o filme todo, parece que muito da história de Jones foi editada de Jonah Hex -- mas sempre tem o DVD!]

Um pouco no começo, e então Jonah chega à um ponto de onde ele não pode continuar. Ele tem esse dom de ir ao mundo futuro, e então eu volto e o ajudo em seu caminho, de alguma forma. Eu não o vi ainda, então não sei bem como isso aparece, mas ela é meio que um personagem onisciente. Sério, ela só o conhece muito bem e ela sabe que ele está fazendo todas as coisas más e que não é bem quem ele é, e ele está na posição de fazer algo bom. Ela é meio que o tipo de pessoa que o conhecia o melhor dele e o amava, e que o coloca em seu caminho e o deixa ir. Eu acho que essa foi a coisa mais difícil para mim como atriz, lidar com a situação. Você tem que amá-lo o suficiente para deixá-lo ir. Quando ele vem à ela é como se ele tivesse morrido, ele vai morrer e o dilema da Cassie é tão ruim que ela quer ficar com ele lá. Mas ela tem que amá-lo o suficiente para dizer não, você tem que voltar e fazer a coisa certa.

Eclipse será o seu terceiro filme do gênero em apenas alguns poucos anos; há algo sobre trabalhar em filmes desse gênero que apela à você?

Eu gosto de filmes dess gênero. Eu gosto por ter um quadro; está claro que mo que você pode meio que se basear, e eles tem um certo tipo de seguidores, um certo tipo de audiência. Eu posso tirar muito de qualquer que seja o gênero do filme, e disso, você pode expandir e usar a sua imaginação.

Fonte: FearNet


 
Voltar

Pesquisar no site

© 2010 Todos os direitos reservados.