Bastidores de " O Ultimo Méstre do Ar"pela Folha de São Paulo!(c/Jackson)

12/07/2010 11:13

 

Aee!! O pessoal da Folha de São Paulo teve acesso às filmagens de ‘O Último Mestre do Ar’, filme novo do Jackson, e conta tudinho pra gente como foram os bastidores do longa, o set e tudo mais. Confiram!

Image and video hosting by TinyPic

Conheça os bastidores de “O Último Mestre do Ar”, filme inspirado no animê “Avatar”

Os gritos de “ação” ecoam em um galpão de filmagens, na Filadélfia (EUA). Quem berra é M. Night. Shyamalan, diretor dos filmes “Sexto Sentido” e “Sinais”.

Ele e o elenco conversaram com o Folhateen em junho de 2009, nos intervalos das gravações do filme “O Último Mestre do Ar”, que chega ao Brasil em 20 de agosto.

O longa é inspirado no animê “Avatar: A Lenda de Aang”, exibido no país pelo canal de TV paga Nickelodeon e pela Rede Globo.

O filme se passa em um mundo dividido em quatro reinos: fogo, ar, terra e água.

Cada um desses povos tem seus “dobradores”, que são pessoas capazes de manipular um desses elementos.

Mas existe uma pessoa que consegue dobrar os quatro elementos. É o tal Avatar.

Até aí, nenhum drama. Exceto pelo fato de que a Nação do Fogo quer dominar o mundo e só o Avatar pode detê-la. É aí que entra o simpático Aang, o garoto escolhido para salvar o mundo.

“No final das contas, o assunto é o mesmo dos meus outros filmes”, explica Shyamalan. “A ligação entre os elementos, o equilíbrio e muito sobre a família.”

 

O lado de dentro

Um set de filmagens, como o visitado pelo Folhateen, é bem diferente do resultado final que vai para os cinemas.

Um exemplo: na tela, alguns cenários parecem feitos de gelo. No estúdio, eram construídos com fibra de vidro, material leve e resistente. A água dos rios e lagos foi adicionada mais tarde, na edição por computador.

Essa situação pode ser aflitiva para um diretor como Shyamalan, pouco acostumado a efeitos especiais.

“Sinto dor quando olho para as cenas”, disse. “O outro lado da ponte não está aqui!”, exemplificou, apontando para um cenário que só seria finalizado com computação gráfica.

Foi ali, em meio ao cheiro de serragem e de tinta fresca, que uma das cenas do filme foi gravada diante da reportagem do Folhateen.

As filmagens de uma só cena, repetidas diversas vezes, duraram cerca de uma hora.

Quase 30 funcionários, incluindo o diretor, estavam presentes na gravação. Gritavam entre si com megafones e seguravam um ventilador de dois metros de altura, responsável por levantar poeira.

O roteiro: um personagem enigmático chamado Espírito Azul se infiltra em um trator a caminho da Nação do Fogo para libertar o Avatar.

“O Último Mestre do Ar” estreou nos EUA em 1º de julho, faturando U$ 40 milhões no primeiro final de semana, atrás apenas de “Eclipse”.

Image and video hosting by TinyPic

Entrevista: Inocência garante papel a ator novato

“O Último Mestre do Ar” é o primeira trabalho de Noah Ringer, 13, no cinema –fruto, aliás, de uma coincidência.

“Meu treinador de taekwondo me disse que eu deveria fazer o teste para o papel porque me pareço com o personagem”, explica.

Ele concordou, gravou uma fita e a enviou pelo correio. Um mês depois, estava no elenco.

O achado impressionou Shyamalan. “Testei milhares de garotos, mas Noah é perfeito. Ele é inocente e doce.”

E sincero. “Nunca tinha ouvido falar na série”, confessa o rapaz. “Animê? O que é isso?”, responde, depois. E completa: “Não sabia quem era Shyamalan”.

Noah se diverte, enquanto grava. Mas sofre um bocado também.

“Gravava quatro horas por dia. Uma vez, tive de ficar pendurado de cabeça para baixo por duas horas”, lamenta o novato.

Nada que o convença a desistir da carreira. “Atuar é ter a chance de ser alguém que você não é”, explica.

Voltar

Pesquisar no site

© 2010 Todos os direitos reservados.