Anna Kendrick fala Sobre a Carreira

04/09/2010 15:21

 

 

Image and video hosting by TinyPicOs fãs de Crepúsculo conhecem Anna Kendrick desde o primeiro dia da franquia (ela interpreta a amiga de escola da Bella, Jessica), mas o resto do mundo está agora acompanhando.

No ano passado, ela ganhou uma indicação ao Oscar por seu papel ao lado de George Clooney em “Up in the Air”; esta semana, vamos vê-la no cult de Edgar Wright: “Scott Pilgrim vs The World ‘. Agora com 25, a atriz está claramente destinada para o grande momento, com muitos atores de primeira linha fazendo fila para trabalhar com ela. Nada mau para alguém cujo sonho de menina era simplesmente cantar e dançar…

Michael Doherty: Em primeiro lugar, feliz aniversário atrasado, Anna. Tendo acabado de chegar aos 25, deve ser muito gratificante saber que você ainda é capaz de fazer papéis de adolescente de forma convincente?

Muito obrigada e sim, é muito gratificante! Na verdade fui regridida de 19 para 18 neste filme, então eu não sei bem o que isso diz sobre mim! Eu me sinto um pouco boba, mas enquanto as pessoas ainda podem me comprar como uma adolescente, então estou lisonjeada.

Em Scott Pilgrim… seu personagem é inspirado na irmã do próprio escritor, Stacy, a quem você conheceu antes do início das filmagens. Isso foi um pouco estranho ou um pouco assustador?

Não, foi muito legal. Eu estava um pouco nervosa sobre conhecê-la, mas ela é tão adorável. Ela basicamente me disse que a relação entre Stacy e Scott nos livros é a relação real que ela tem com seu próprio irmão. Ela me deu o crachá de Stacy dela para usar de quando ela trabalhava no The Second Cup, o café no filme, então isso foi legal.

Edgar [Wright, o diretor] é conhecido por suas muitas tomadas e você esteve trabalhando em um filme com uma sensibilidade acrescida de histórias em quadrinhos. Isso fez de Scott Pilgrim… um filme exigente para trabalhar?

Bem, para minha primeira cena eu tive que virar a cabeça, reagir, dizer minha fala e depois esperar o zoom e eu fiz isso 20 vezes e não foi muito bem. Eu estava ficando constrangida porque houveram tantas tomadas, mas Mary Elizabeth [Winstead], que interpreta Ramona, basicamente se inclinou para mim e disse, ‘não se preocupe, este é um rito de passagem. Você não é um membro do elenco de verdade de Scott Pilgrim a não ser que você tenha feito 20 tomadas de uma cena!’ Então, sim, foi realmente um desafio, mas muito gratificante quando você vê tudo junto.

Entre este filme e a série Crepúsculo, que você capturou completamente o mercado de fanboy e fangirl. Eu estou supondo que deve ser difícil para você andar em qualquer shopping center nos Estados Unidos?

Eu não sei! Para ser honesta, eles realmente não ficam muito em LA, porque eles são muito legais para a escola e não querem incomodar ninguém. Eu recebo menininhas que vêm até mim em shoppings e gritando, mas geralmente as pessoas são discretas em LA e eles falam comigo calmamente quando eu estou sentada na Starbucks  e dizem “parabéns”. Esse tipo de coisa.

Olhando para seu currículo, você começou a vida como uma estrela de musical e de fato foi a segunda artista mais jovem [aos 12] da história a ser nomeada para um Tony Award da Broadway, por “High Society”. Quando é que vamos vê-la em um musical na tela?

A verdade é que eu quero desesperadamente fazer um filme musical, mas eu tenho que ter cuidado, porque o desespero nem sempre leva a boas escolhas. Eu quero fazer um musical pelas razões certas e não apenas porque eu estou ansiosa para atuar em um.

Nesta fase em sua carreira, como é que a coisa toda da fama está funcionando? Você é capaz de andar confortavelmente por aí ou os paparazzis começam a aparecer?

Houve, tipo, uma semana em torno da época do Oscar onde havia um paparazzi fora da minha casa e foi terrível. Foi aquele momento em que você percebe, eu pensava que isso só acontecia com outras pessoas e, no entanto, não podia simplesmente sair e dizer ‘o que diabos você está fazendo?’ De onde eu venho, meu irmão e seus amigos iriam te bater se você estivesse rondando a casa de sua irmãzinha. Era essencialmente um homem em seus 40 perseguindo uma menina na casa dos 20 anos e na maioria dos lugares, isso está no limite de uma atividade criminosa. Foi realmente estranho, mas definitivamente depois disso eles me deixaram em paz. Eu também acho que quanto mais chato você é, menos eles te seguem, por isso tudo que tive que fazer era ser eu mesma por uma semana e eles ficaram tipo, essa menina não faz nada legal!

Você fez algo muito legal com a sua página do Twitter, fotografar a si mesma segurando o seu nome de usuário (AnnaKendrick47), assim negando a outros 46 perfis falsos em uma só tacada.

Isso pode parecer tão bobo, mas eu estava realmente orgulhosa de mim mesma por pensar nisso! Eu vi uma foto uma vez de uma atriz segurando um cartaz que dizia ‘sim, sou eu mesma’, e eu pensei que foi tão inteligente, mas, em teoria, qualquer um poderia tirar essa foto e copiá-la para seu site. Não tenho muitas boas idéias, mas que foi uma maneira mortal para dissipar os impostores e todas as informações erradas na rede.

Falando da rede, há uma história rolando que você está trabalhando no novo filme de Tom Cruise: é que mais uma informação errada ou é verdade?

Não, essa é uma daquelas histórias que apareceram e agora é impossível eliminá-la agora que ela está aí. O papel em questão é para Reese Witherspoon, mas ela não estava na cidade para a leitura então eles me pediram para fazer. Eu sabia que não ía levar a um emprego, mas eu estava feliz de estar nessa empresa. Para ser honesta, o primeiro rumor não era que eu estava no filme de Tom Cruise, era que eu estava sendo recrutada para Cientologia!

Em termos de plano para sua carreira, você está seguindo um grande plano?

Definitivamente não! Eu não posso pensar em termos de uma estratégia. Eu seria uma agente terrível! Eu só tenho muita sorte de trabalhar com pessoas muito boas. No ano passado, eu recusei coisas que um ano atrás eu teria matado para conseguir. É uma posição estranha de se estar, porque eu preferiria estar em um set de filmagem para fazer um filme do que não fazer um filme, mas eu não quero continuar fazendo o mesmo papel e tendem a me oferecer o mesmo tipo de coisas. Há apenas cerca de 20 atores no mundo que são capazes de seguir uma estratégia global e eu não sou uma desses 20. Eu só me considero sortuda de estar trabalhando.

Quão emocionante foi para você aparecer na famosa capa da Vanity Fair de março passado, como uma das estrelas mais quentes de Hollywood?

Meu Deus, foi incrível. Foi muito divertido! Acredite em mim, eu cresci olhando ansiosamente para aquelas capas e eu não pude acreditar que minha cara estava na capa da Vanity Fair. Eu conheci algumas atrizes realmente legais – Evan Rachel Wood, Rebecca Hall, etc. Achei que seria muito competitivo no ensaio naquele dia, mas na verdade houve uma vibe muito legal.

Você apareceu na terceira página dessa famosa revista. Eu suspeito que se as fotos fossem tiradas hoje, você estaria na foto frontal…

Não importa que seja na terceira foto. Eu estava apenas feliz por estar deitada na grama com todas aquelas moças de talento! Quando eu estava prestes a fazer o ensaio, George Clooney me telefonou e disse, “verifique se você está na extrema esquerda”. Eu disse que achava que não cabia a mim, mas obrigada pelo conselho!

Se eu tivesse falado com você depois de seu primeiro filme, e te dissesse que em seis anos você estaria sentada em um hotel luxuoso em Dublin comendo pãozinho com coalhada e conversando casualmente sobre George Clooney te ligar, você acreditaria em mim?

Bem, antes de tudo, eu teria pensado que coalhada seria nojento! Levei anos para descobrir as maravilhas celestiais da coalhada. Eu provavelmente teria gritado comigo mesma, porque parece que sou totalmente exibicionista! Não finjo que trocamos mensagens ou que nós somos melhores amigos nem nada, mas George é um cara muito legal e realmente parece se preocupar com todos. Eu sou realmente inspirada pela forma como ele trabalha duro e como ele é legal com as pessoas, porque todo mundo quer alguma coisa dele. Eles querem que a sua experiência com George Clooney seja realmente interessante e ele garante que seja. Isso toma muita energia, e é tão inspirador.

Finalmente, Anna, quando você recebeu o roteiro de Up in the Air, você percebeu que este seria o filme que mudaria sua vida?

Eu definitivamente o li e imediatamente senti que eu poderia fazer isso. Eu não era um “nome” naquele ponto, e eu não sabia que o Jason [Reitman, diretor] tinha, tipo, escrito para mim. Quando eu entrei, havia apenas uma outra menina na sala de espera e ela é uma atriz que é muito, muito bonita e eu cheguei lá e pensei, ‘ah, eles querem uma modelo/atriz, eles não estão procurando por mim’. Felizmente, eu estava errada! Eu acho que há sempre filmes que precisam de meninas interessantes e eu acho que é quando sou mais valiosa. Meus futuros papéis surgirão por me pedirem para fazer algo interessante ao invés de apenas fazer perguntas e ser bonita


Fonte: Like I Care
Voltar

Pesquisar no site

© 2010 Todos os direitos reservados.