Entrevista divertidíssima do Rob para a Premiere Magazine

09/06/2010 21:21

Muitas pérolas, muitas revelações e tantas coisas interessantes que só me fizeram amar o Rob mais e mais. A entrevista é grandona e foi publicada na Premiere Magazine mas juro que vale a pena e renderá muitas risadas… Aproveitem!!!

Image and video hosting by TinyPic

“Pela primeira vez, percebi o quão estranho eu  me sentirei quando a saga acabar” – Robert Pattinson.

Desde que você não seja Amish ou um personagem de Lost (me pare aqui se eu estiver errado), nós não vamos nos incomodar em apresentar Robert Pattinson, 24 anos, o vampiro que brilha no sol, o ator desconhecido há dois anos atrás que conquistou Hollywood e deixou as meninas em todo o mundo, muito pálidas. Você já sabe disso. Você deve saber, também, que “Eclipse”, “Twilight” (colocado nas mãos de David Slade, diretor de “Hard Candy”) estreará em 07 julho, apenas sete meses após “New Moon”.

A série de vampiros pesa hoje mais de um bilhão de dólares nas bilheterias mundiais, mas isso não acabará antes da quarta parte, “Breaking Dawn”, que é esperada para novembro de 2011.

Pattinson está com novos projetos e agora está negociando uma mudança importante em sua carreira: se tornar o novo Johnny Depp ou se juntar a Orlando Bloom e Hayden Christensen no banco.

Agora que ele terminou de filmar “Bel Ami”, baseado no romance de Maupassant, e estava prestes a começar “Water for Elephants”, um drama de Francis Lawrence (“I Am Legend”), com Reese Witherspoon e Christopher Waltz, pegamos RPattz para uma entrevista exclusiva.

Première: A última vez que conversamos você estava filmando “New Moon”, o segundo filme “Twilight”. Aqui estamos nós outra vez, um ano depois para a abertura de Eclipse. Estou tendo dificuldade para fazer isso tão rápido…

Robert Pattinson: Foram só dois meses entre as filmagens de “New Moon” e “Eclipse”, durante o qual fiz “Remember Me”. Tudo passou tão rápido que eu nunca senti como se eu tivesse saído de “Twilight”. Mas eu ainda estava meio que perdido quando comecei “Eclipse”. Eu não tive o tempo para me preparar então eu precisei de algumas semanas para me acomodar.

P: O que você esperava de um diretor como David Slade e ele foi diferente no set o que você imaginava?

 

RP: Eu não tinha idéia do que eu poderia esperar de um diretor especializado em filmes mais maduros, que não tem medo da violência explícita. Honestamente, eu estava imaginando como o seu universo se fundiria com o de “Twilight”, que não é conhecido por sua inclinação para violência. David tinha uma idéia clara do que queria fazer, ele tinha um método de trabalho diferente do que Catherine e Chris.

P: Como o quê?

RP: “Eclipse” introduz uma série de novos personagens, o ambiente é menos abafado do que nos dois primeiros filmes. “Twilight” foi centrado no romance de Edward e Bella, em “New Moon” no relacionamento de Bella e Jacob, com Edward na periferia. “Eclipse” permite que cada personagem tenha seu ‘momento’ em que espectro é mais amplo. O filme é, também, mais ritmado por ação, e menos centrado na intimidade de todos.

P: Sabendo que há uma grande cena de luta entre os lobos e os vampiros no final, você nunca pensou que você estava filmando (em) um filme de guerra?

RP: Você não tem idéia. Tivemos que passar por um treinamento especial por quase um mês antes das filmagens das primeiras cenas, para aprender a lutar e organizar as acrobacias. Não foi nada como nos filmes anteriores nos quais os ensaios eram mais normais. Para este, precisávamos de uma intensa preparação física. O engraçado é que os vampiros e os lobos cada um teve seu próprio acampamento de treinamento.

P: Você teve um treinador que gritou com você e mandou você fazer flexões?

RP: Constantemente. E aqui eu pensei que seria como nos outros filmes: a Kristen, Taylor e eu em uma sala, passando pelo roteiro. Fiquei surpreso.

P: A escolha de David Slade para dirigir “Eclipse” foi surpreendente e mostrou coragem por parte da Summit, que produz a saga …

RP: Eu não sei se isso foi feito de propósito, mas cada diretor que trabalhou nos filmes não era nada como o anterior, foram todos diferentes. Catherine e Chris tinham estilos diametralmente opostos, como artistas, mas como pessoas também. O mesmo vale para David. Eles todos praticam um tipo específico de cinema. O que é bom: eu gosto de ir para o set e não saber o que está guardado para mim. Estou realmente ansioso para ver o que Bill Condon (“Dreamgirls”), irá fazer do último filme. Vai ser diferente também.

P: Todo o material interessante está em Breaking Dawn: A cena de sexo, uma cena de parto em que seu personagem executa uma cezariana com os dentes…

RP: Eu sei! Eu estou querendo saber como eles serão capazes de traduzir isso na tela. Nós acabaríamos com um filme censurado… Você pode imaginar se decidíssemos fazer tudo e transformar “Twilight” em uma saga crua, para adultos, com cenas de sexo e tudo mais? A Summit pareceria o estúdio mais progressista do mundo. Isso seria engraçado.

P: Eu tenho certeza que Stephenie Meyers amaria isso! Alguns fãs fizeram uma petição para manter a adaptação cinematográfica de BD o mais fiel possível, e dar ao filme uma classificação adulta. Como a maioria do público é jovem, eles estão realmente fazendo campanha para conseguir seu acesso negado ao cinema.

RP: *risos* Eu tenho certeza que eles iriam comprar o dvd e apreciar ainda mais.

P: Quando você pegou o roteiro de “Eclipse”, quais foram as cenas que você estava mais impaciente para filmar?

RP: Até agora, a maioria das cenas em “Twilight” foram entre eu e a Kristen. Fiquei feliz por desempenhar esse papel com outros atores. Nos dois primeiros volumes, eu sempre senti que Edward estava escondido e reservado. Em “Eclipse”, ele está com raiva, ele meio que estava saindo do controle. Parece simples dizer isso, mas ele parece menos taciturno neste filme, ao ponto em que eu pensei que eu estava interpretando outra pessoa.

P: Se eu estivesse interpretando alguém tão sério como Edward Cullen durante meses, eu gostaria de liberar a tensão uma vez que a filmagem acabasse, provavelmente ficando bêbado a noite toda.

RP: Mas eu já estava bebendo no set. *Risos* Mas sério, quando eu tinha filmei “Twilight” eu fiz um outro filme de imediato, então eu realmente não tive tempo para sair de tudo isso. No início de maio, voltei para refilmar algumas cenas para “Eclipse” bem quando eu estava acabando de fazer “Bel Ami”, eu estava completamente perdido. Eu não poderia perder meu sotaque, não pude encontrar minhas marcas… Mas uma vez que a maquiagem foi colocada no meu rosto, e eu coloquei minhas lentes de contatos, tudo voltou para mim.

Pela primeira vez, percebi que eu senti falta desse personagem e o quão estranho eu me sentiria quando a saga acabar.

P: Sério? Nós pensamos que o final de “Twilight” seria mais como um alívio para você …

RP: Eu consegui o papel de Edward Cullen com 20 anos e eu vou ter 26 quando o último filme sair. Eu acabei de perceber que “Twilight” é uma parte muito importante da minha vida. O que é engraçado é que eu interpretei um de 17 anos de todo esse tempo.

P: “Breaking Dawn” será filmado no final do ano. Você está animado ou você vê este filme como um dever, uma cláusula do seu contrato a que você deve honrar?

RP: Eu acho que vai ser interessante. A história vai em tantas direções diferentes. Estou curioso para ver como vai ficar. Nós não adiaremos por mais tempo: Bella dizendo “Eu quero que você me transforme” e eu dizendo ‘Não, não, não”. Ela se torna uma vampira neste filme. Nós nos casamos e dormiremos juntos. Toda a tensão dos filmes anteriores acabará em “Breaking Dawn”. Eu não li o roteiro ainda, mas tenho certeza que vai ser bom.

P: Rob, nós conhecemos bem o suficiente agora para que você possa me dizer: você perde todos os seus poderes se você cortar seu cabelo?

RP: Bem, nós vamos ter que consertar isso em breve, já que vou ter que cortá-lo esta tarde.

P: Você sabe como manter o suspense. Eu gostaria que voltássemos no tópico de “Remember Me”, que me chocou com a sua maturidade e seriedade. Você acha que esta coisa sombria desempenhou um papel no número tímido da bilheteria?

RP: “Remember Me” não foi feito para ser um blockbuster na escala de “Twilight”, foi um filme independente com um orçamento minúsculo, no sentido de que a promoção seria mínima. No final, ele fez 60 milhões de dólares em todo o mundo: não é nada mau para um filme que custou 16. Estou feliz que não foi um grande fracasso, mas nunca fiquei preocupado com a bilheteria.

P: Muitas pessoas disseram que este filme foi o seu teste sobre o seu status de estrela de cinema, pareceu um pouco cedo para mim…

RP: Eu sei! Eu li todos os artigos sobre Leo DiCaprio e o fato de que seus fãs o seguiram após “Titanic”. Mas, para mim, “Twilight” não tem nada a ver com isso. Os fãs vão ver os filmes porque amam a história. Eu nunca me senti como se eu tivesse um papel no sucesso de tudo isso. Como eu sempre disse, é o personagem que as pessoas amam e não a mim. Espero ser capaz de chegar às pessoas devido à qualidade dos filmes que faço e não porque as pessoas vão esperar para ver um novo “Twilight” assim que meu nome estiver nos créditos finais.

P: Nós ouvimos todos os tipos de histórias que cercam as filmagens de “Remember Me”, como a de paparazzi que saíram da água enquanto você estava filmando uma seqüência de praia. Você está mudando toda a profissão deles.

RP: Ninguém realmente entende essa situação a não ser que eles passaram por isso. A staff de “Remember Me” estava em choque quando viram quarenta cinegrafistas que tentaram tirar fotos do set. A maioria dos atores do filme não viu nenhum dos filmes “Twilight” e não entendia o que estava acontecendo.

P: Será que eles perguntam por que você pagava todos estes fotógrafos que apareceram no set?

RP: Exatamente! “Bem, Rob não sabia que precisava aumentar tanto seu ego!” *Risos*

P: Você diz que a celebridade abre algumas portas e fecha outras. Quais você gostaria que tivessem ficado abertas?

RP: Eu gostaria de não ser tão paranóico quando eu conheço pessoas novas. Quando ando na rua, tenho medo de olhar nos olhos das pessoas no caso de me reconhecerem. Eu tenho que me esconder constantemente, é inquietante. Então, eu vivo uma vida estranha, eu não posso ser tão aberto como eu gostaria. Na verdade, você aprende que viver assim. Ao longo dos anos, consegui lidar com esta situação cada vez melhor, estou mais à vontade do que antes da loucura “Twilight”. Acho que você atingi um ponto depois de um tempo: você se perde, torna-se um recluso e vira as costas para toda a humanidade ou você aprende a aceitar isso.

P: Você parece mais relaxado do que no ano passado …

RP: Eu estou. Estou começando este novo filme que me excita e eu acabei um outra como esse. Eu sei que nada teria ido tão rápido sem os fãs que me acompanham em todos os lugares e as pessoas que me reconhecem na rua, para ser honesto.

P: Você acha que viu de tudo quando se trata da loucura da imprensa ou você acha que há mais experiências surrealistas para se viver?

RP: Eu não sei. No lado positivo, você não pode permanecer o objeto de olhares para sempre. Novos atores virão e conseguirão a atenção deles. Isso só dura por um tempo. A loucura chegou ao seu ponto durante as filmagens de “Remember Me”, mas esmoreceu desde então. Quando eu estava filmando “Bel Ami” em Londres, as coisas estavam mais calmas. Eu podia até andar livremente.

P: Falando em “Bel Ami”, você sabe que os francêses estarão esperando por este filme com uma faca entre os dentes?

RP: Eu estou bem ciente disso, acredite em mim. Eu nunca teria a coragem de vir promover o filme em Paris, eu estou nervoso. Eu conheci Marion Cotillard em uma festa antes do início das filmagens e eu perguntei se ela gostaria de ler o roteiro, pois um dos papéis seria perfeito para ela: “Por que fazer “Bel Ami” em Inglês? É estranho, não é?” Naquele momento eu percebi como o filme seria recebido no seu país. Espero que dê certo e que vocês sejam de mente aberta sobre isso. O que me impressiona é que o livro é desconhecido em qualquer outro lugar. Eu só li depois que peguei o script e se tornou um dos meus livros favoritos.

P: Agora, você está preparando-se para “Water for Elephants” de Francis Lawrence…

RP: Sim, com Reese Witherspoon e Christoph Waltz. É emocionante e aterrorizante ao mesmo tempo estar cara a cara com esses atores.

P: Se Christoph Waltz lhe pedisse um copo de leite, como você respoderia?

RP: Com certeza! Ele tem um papel surpreendente neste filme. Ele interpreta o Sr. Loyal do circo, um homem que é um totalmente ciclotímico e um pouco assustador. Estou tentando roubar sua esposa.

P: Eu admiro a sua coragem!

RP: Não é?

P: Como você reagiria se amanhã tudo acabasse?

RP: O fim do mundo, você quer dizer? Acho que eu poderia sobreviver. *Risos* Para ser honesto, eu não tenho idéia. Eu encontraria outra coisa para fazer. O caminho que eu estou agora me ajuda muito, mas eu ainda não consegui tudo que eu quero.

P: Eu posso vê-lo tocando músicas em bares em algum lugar da França…

RP: Você não poderia ter dito melhor. Quando eu tinha 19 anos eu filmei um pequeno filme em Brittany, durante duas semanas. Toda noite eu tocava música em bares, foi fantástico. Uma das minhas lembraças favoritas.

 

Fonte: RPLife

 

Voltar

Pesquisar no site

© 2010 Todos os direitos reservados.